Claude Saint-Simon

Pensador francês, Claude-Henri de Rouvroy, conde de Saint-Simon, nasceu em 1760, em Paris, onde faleceu em 1825.
Ingressando no exército muito novo, aos dezassete anos, lutou pela independência dos Estados Unidos da América entre 1779 e 1783. Ao regressar a França, apoiou a Revolução e abandonou o seu título nobiliárquico.
Tinha quarenta anos quando decidiu voltar a estudar na Escola de Medicina e na Politécnica. A partir de 1802, começou a escrever sobre política, economia e filosofia, acabando por criar um grupo de seguidores, conhecidos como saint-simonistas e entre os quais se encontravam políticos, banqueiros, engenheiros e escritores influentes.
O seu pensamento influenciou profundamente o movimento romântico (marcando autores posteriores como Victor Hugo, George Sand, Heinrich Heine e Sainte-Beuve) e o começo do socialismo na França. De facto, Saint-Simon foi um dos socialistas utópicos (designação que só seria depois atribuída) mais representativos, a par de figuras como Charles Fourier e Robert Owen.
No conjunto da vasta obra de Saint-Simon, destacam-se os seguintes trabalhos: Lettres d'un habitant de Genève à ses contemporains (1802), Introduction aux travaux scientifiques du XIXeme siècle (1807), Mémoires sur la science de l'homme (1813-1816) e Le nouveau christianisme (1825).
Como referenciar: Porto Editora – Claude Saint-Simon na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-28 15:08:13]. Disponível em