colisão (física)

Em física, uma colisão consiste no choque entre partículas elementares. É importante referir as características de uma colisão: é uma interação entre corpos, sendo possível distinguir os instantes correspondentes ao antes e ao depois da interação; durante uma colisão não atuam forças exteriores (que se desprezam) no sistema. Trata-se de um sistema isolado no qual se verifica a lei da conservação do momento linear.
Consoante há conservação ou não conservação da energia cinética, as colisões podem ser classificadas em colisões elásticas, colisões inelásticas e colisões perfeitamente inelásticas. As colisões elásticas consistem em colisões nas quais a energia cinética total do sistema possui o mesmo valor antes, durante e após o choque. As colisões elásticas só ocorrem se não houver conversão de energia cinética noutras formas de energia, como na colisão dos átomos. No caso de corpos macroscópicos esta não será a causa de alguma energia se transformar em calor.
As colisões inelásticas ocorrem quando a energia cinética total do sistema varia, não se mantendo constante (não é conservada). Parte da energia cinética dos corpos que chocam é convertida em energia interna de um corpo, e por isso não há conservação da energia cinética. Em colisões de corpos macroscópicos uma parte da energia cinética é transformada em energia vibracional dos átomos, produzindo o seu aquecimento. As colisões entre moléculas de um gás, ou de um líquido, também podem ser inelásticas porque produzem variações nos níveis de energia vibracional e rotacional.
As colisões perfeitamente inelásticas ocorrem quando a energia cinética do sistema varia, ou seja, toda a energia cinética se converte noutras formas de energia. Os corpos que chocam continuam ligados após a colisão, tendo por isso a mesma velocidade.
Como referenciar: colisão (física) in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-10 11:25:56]. Disponível na Internet: