Companhia de Cabo Verde e Cacheu

A Companhia de Cabo Verde e Cacheu foi criada por alvará régio a 4 de janeiro de 1680. O seu objetivo comercial era o tráfico de escravos entre África e o Brasil, tal como acontecia com a Companhia de Cacheu e Rios da Guiné, fundada em 1656. Esta última não teve vida longa devido a dificuldades que se prendiam com a escassez de mercadoria e de exportações. A criação destas duas companhias denota bem a ligação que a Guiné e Cabo Verde tinham ao tráfico negreiro, chegando por vezes a confundir-se.
Com a criação da nova Companhia, Cabo Verde e a Guiné passaram a figurar lado a lado na sua constituição, que ocorreu de 1680, data da fundação, até 1706. O sucesso desta Companhia deve-se ao facto de ter conseguido o monopólio do comércio de escravos para a América espanhola. Foi detentora deste monopólio no período de 1696 a 1703. A queda da Companhia provocaria naqueles dois territórios uma apatia económica como a que se verificara antes da sua criação e que só dificilmente se debelaria. Só muito tardiamente a Guiné e Cabo Verde viriam a recuperar algum fôlego económico, quando passaram a fazer parte da Companhia do Grão-Pará e Maranhão de 1757 a 1777, depois transformada na Companhia para o Monopólio do Comércio nas ilhas de Cabo Verde, Bissau e Cacheu até 1786.
Como referenciar: Companhia de Cabo Verde e Cacheu in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-11 14:57:57]. Disponível na Internet: