Companhia Monopolista

São célebres as companhias deste género, com o exclusivo do direito de explorar o comércio de determinado produto ou dos bens comerciáveis de certa região e cuja instituição remonta ao século XVII, como a de Comércio com a Índia (1687), a do Comércio para Macau, e, sobretudo, aquelas criadas pelo ministro do rei D. José I. Entre estas destacam-se a do Comércio de Moçambique e a do Comércio Oriental (c. 1753), a do Grão Pará e do Maranhão (1755), a Geral de Pernambuco e Paraíba, a Geral das Reais Pescas do Reino do Algarve (1773) e a Geral da Agricultura dos Vinhos do Alto Douro (1756).
Na centúria de 1800 aparecem algumas companhias comerciais monopolistas, ligadas sobretudo à exploração de determinadas colónias portuguesas. Foram estas companhias as de Moçambique e Goa, criadas respetivamente em 1824 e 1828, assim como outras para Angola, Índia, e ainda Moçambique entre os anos de 1838 e 1853.
Como referenciar: Companhia Monopolista in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-21 05:56:51]. Disponível na Internet: