comportamento esperado e comportamento desviante

O comportamento dos atores sociais corresponde àquilo que se espera das posições que ocupam socialmente. Existe uma expectativa social relativamente ao comportamento de cada indivíduo e espera-se que corresponda à posição social que ele ocupa. A desviância ocorre se se der um afastamento em relação a uma norma.
Como apontou H. Becker (1963), a desviância não é uma qualidade de um ato em si, mas antes a consequência da aplicação de normas pelos outros.
O ato desviante pode violar normas sem as pôr em causa. Os desvios podem ser de grau variado e mais ou menos explícitos, e todas as sociedades admitem determinados desvios. A Sociologia interessou-se desde sempre pelos comportamentos desviantes.
Para Durkheim, a anomia é definida pelo tipo de sociedade, sendo identificada de modo rígido nas sociedades ditas de solidariedade mecânica e, de modo mais complexo, nascendo da falta de integração social dos indivíduos, nas sociedades ditas de solidariedade orgânica.
Para R. K. Merton, grande parte do comportamento desviante ocorre quando os indivíduos adotam meios "ilícitos" para atingir objetivos "lícitos", devido à dissociação entre as aspirações socialmente prescritas e os meios disponíveis para realizar essas aspirações.
Numa outra perspetiva, E. Goffman declarou que todos os atores sociais são desviantes na medida em que ninguém age em conformidade total a todas as normas do comportamento socialmente aceitável.
O desvio pode constituir ele próprio o seu sistema e contribuir, afinal, para fazer funcionar o conjunto da sociedade.
Como referenciar: comportamento esperado e comportamento desviante in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-25 14:34:34]. Disponível na Internet: