Congresso do Panamá

Congresso celebrado a 22 de junho de 1826, no Panamá, que reuniu alguns países da América Latina, a Inglaterra e a Holanda. Na sua origem está o movimento de solidariedade criado entre as recém-independentes colónias espanholas, que tentam criar um bloco que as proteja da política europeia da Santa Aliança. A apoiar as suas decisões, também por interesses mercantilistas, estavam a Inglaterra e os Estados Unidos, que garantiam assim a primazia e a autonomia do continente face à hegemonia europeia. Como ponto de partida para este convénio esteve a carta saída da Assembleia Nacional Constituinte da América Central, em novembro de 1823. Quando o Congresso se reuniu no Panamá muitos dos estados que inicialmente tinham apoiado esta causa não compareceram, o que resultou numa participação incompleta e deficiente. Contudo, os representantes que se reuniram trabalharam no sentido de criar um organismo que permitisse resolver problemas comuns a todos, quer em tempo de paz, quer em tempo de guerra. Mas tudo não passou de vontades. O medo da ameaça da Santa Aliança fez com que os congressistas se retirassem, continuando os seus trabalhos em Tacubaya, perto do México que acabaram por não ser ratificados. A soberania dos novos estados face às metrópoles europeias só estava garantida pelo apoio da Inglaterra e dos Estados Unidos, cuja Doutrina Monroe preconizava a intervenção em caso de opressão.
Como referenciar: Congresso do Panamá in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-17 19:57:03]. Disponível na Internet: