Contos Tradicionais Portugueses

Obra em dois volumes, coligindo tradições em prosa do Algarve, dos Açores e de Entre Douro e Minho, com a qual Teófilo Braga se propõe dar continuidade aos trabalhos de recolha do Cancioneiro e Romanceiro (ambos de 1867), no sentido de chegar a uma Biblioteca das Tradições Portuguesas. Na "Advertência preliminar", atribui a morosidade da recolha destes textos ao facto de serem em prosa, o que dificultaria a sua fixação. O primeiro volume abre com o estudo teórico "Da novelística popular. Sua origem, persistência e transmissão", a que se segue uma primeira parte, "Contos de fadas e casos da tradição popular", dividida em duas secções: "Contos míticos da aurora, do sol e da noite" e "Casos e facécias da tradição popular". O segundo volume abre também com um estudo teórico, "Literatura dos contos populares em Portugal", a que se seguem a segunda parte, "Histórias e exemplos de tema tradicional e forma literária" (onde surgem contos que receberam tratamento literário, como a lenda da princesa Gaia, modificada por Garrett, ou a história da Dama de Pé de Cabra, romantizada por Herculano numa das Lendas e Narrativas), e a terceira, "Lendas, patranhas e fábulas". O segundo volume contém ainda as notas explicativas aos contos de ambos os volumes.
Como referenciar: Contos Tradicionais Portugueses in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-11-29 02:16:09]. Disponível na Internet: