contração

Processo fonológico e morfológico em que duas palavras se fundem numa só, mantendo, apesar disso, a sua identidade sintática. A contração tem consequências ao nível fonético, na medida em que resulta de uma supressão de fones e termina, no mínimo, numa reestruturação silábica. Em português, são suscetíveis de sofrer contração algumas preposições curtas e mais frequentes, como <a>, <de>, <por> e <em>, na medida em que a contração é um fenómeno que traduz as leis do menor esforço e da economia linguística subjacentes à mudança das línguas.
São contrações aceites na ortografia do português europeu as que se estabelecem entre as preposições referidas e os determinantes artigos definidos (ex: <ao, à, aos, às>, <do, da, dos, das>, <pelo, pela, pelos, pelas>, <no, na, nos, nas>), os pronomes e determinantes demonstrativos (ex: <àquilo>, <deste, desse, daquele, etc.>, <neste, nesse, naquele, etc.>) e alguns pronomes e determinantes indefinidos (ex: <noutro, noutra, etc.>).
A oralidade estabelece outras contrações, como as que ocorrem entre a preposição <para> e o artigo definido <o, a, os, as>, em <pr'o, pr'a, p'ros, p'ras>.
Como referenciar: contração in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-21 18:08:21]. Disponível na Internet: