Convento de Santa Maria da Arrábida

Na Idade Média a ermida de Nossa Senhora, localizada na encosta do estuário sobre o Sado, era muito concorrida por romeiros e o topónimo deste lugar lembra a sua origem árabe (al rabita - meditação, contemplação), embora se trate de um eremitério cristão.
Este santuário foi procurado por Frei Martinho de Santa Maria (1539), um franciscano desejoso de encontrar um repouso eremítico. Este frade construiu uma pobre cela, em meados do século XVI, junto da ermida, que foi sendo aumentada com outras dependências criadas para acolher os seguidores de S. Martinho. De seguida, foi edificada uma cerca que envolvia este conjunto de construções. D. João de Lencastre, o duque de Aveiro, mandou por sua vez erigir novas instalações afastadas das originais, para serem edificadas celas isoladas.
Deste modo, foi iniciada a construção do Convento da Arrábida - fundado como outros eremitérios, nomeadamente os franciscanos - que se manteve de pé até 1834.
A casa-mãe da província da Arrábida foi fundada em 1560. A sua província deriva da ereção da Custódia de Santa Maria da Arrábida, iniciada em 1542, quando o eremitério passou a ser um convento, depois de outros se terem fundado à sua imagem. Hoje é pertença da Fundação Oriente.
Como referenciar: Convento de Santa Maria da Arrábida in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-02-23 17:56:29]. Disponível na Internet: