Corino Andrade

Médico e investigador português, Mário Corino da Costa Andrade nasceu a 19 de junho de 1906, em Moura, no Alentejo, e faleceu a 16 de junho de 2005, no Porto. Formou-se na Faculdade Medicina da Universidade de Lisboa em 1929. Dedicou-se então ao estudo da neurologia, especialidade em que ganhou grande prestígio em Portugal e além fronteiras. No começo da sua carreira, trabalhou em Estrasburgo, França, com o Professor Barré, e depois na Alemanha com Oskar Vogt, eminentes especialistas que o orientaram no estudo do cérebro humano, com especial destaque para as meninges.
De volta a Portugal, começou a lecionar na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, onde chegou a professor catedrático. Aliás, foi na cidade do Porto que desenvolveu a sua atividade profissional e científica. De facto, a sua reputação de grande professor e investigador na área da neurologia está intimamente ligada ao Hospital de Santo António, unidade em que impulsionou a reestruturação dos serviços de Doenças Neurológicas. Promoveu também a criação e a ativação de serviços de reanimação respiratória e de traumatologia crânio-encefálica naquele hospital portuense. Corino Andrade, como grande neurologista de renome internacional, muito contribuiu para o conhecimento do cérebro humano. Apesar da racionalidade e empirismo inerentes à investigação, inculcou sempre na sua carreira uma forte vertente humanista e altruísta. A partir de 1939, começou a especializar-se numa doença que o tornaria célebre pelos estudos que fez: a paramiloidose, vulgarmente conhecida por "doença dos pezinhos". Esta enfermidade tem especial incidência no litoral norte de Portugal, mais particularmente na Póvoa de Varzim, apontando-se tradicionalmente os navegadores portugueses dos Descobrimentos como os seus propagadores no País. Corino Andrade dedicou à doença quase meio século de investigações, tendo começado a estudá-la em 1950, quando publica o seu primeiro estudo. Daí que a paramiloidose receba também o nome de "doença de Andrade". Foi também, neste campo, o fundador e dinamizador do Centro de Estudos da Paramilodoise.
Está também o seu nome indelevelmente ligado ao Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar, instituição de ensino da medicina da Universidade do Porto e que serve de unidade de investigação científica de apoio ao Hospital de Santo António, junto ao qual está também fisicamente e ao qual também Corino pertenceu como médico.
Foi distinguido em 1976 com o grau de oficial da Ordem de Sant'Iago da Espada e em 1990 com a grã-cruz da Ordem de Mérito, pelo seu abnegado contributo para o estudo da "doença dos pezinhos" e pelos os esforços para a sua prevenção e profilaxia da mesma (que tem conhecido bons resultados).
Como referenciar: Corino Andrade in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-16 01:40:49]. Disponível na Internet: