Crítica literária

Atividade que tem como objetivo tornar mais inteligível o texto da obra literária através de uma reflexão crítica que varia segundo as orientações culturais da época em que essa mesma atividade se desenvolve. A sua primeira manifestação em Portugal ocorreu no século XVI com certos comentadores de Os Lusíadas, tais como Manuel de Lira (1591), Manuel Correia (1613) e Manuel de Faria e Sousa (1639), que praticaram não só uma elucidação do entendimento do texto, mas também uma certa investigação de fontes e um juízo de valor fundamentado na comparação. Com o Iluminismo, no século XVIII, a crítica literária toma novo rumo, baseando-se em postulados de carácter racionalista. Ao longo da história literária surgem outras correntes críticas profundamente vinculadas à época em que se inserem, como é o caso da crítica de carácter histórico ligada ao romantismo e daquela que assenta num critério metafísico para valorização da obra literária que aparece, por exemplo, em Leonardo Coimbra, já no nosso século. Mais contemporaneamente, esta atividade intensificou-se e exerce-se sobre toda a espécie de realização literária, chegando mesmo a fazer a sua integração na existência social, como é o caso da crítica praticada por Óscar Lopes e António José Saraiva.
Como referenciar: Crítica literária in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-18 14:45:11]. Disponível na Internet: