crocodilo

Réptil da ordem dos crocodilos e da família Crocodilídeos, que são os verdadeiros crocodilos. Os crocodilos constituem uma das quatro ordens de répteis atuais, testemunhos da deslumbrante fauna que povoou a Terra no Mesozoico.

Os atuais crocodilianos (ordem Crocodilia ou crocodilos) são os sobreviventes representantes da linhagem dos arcossáurios que originaram a grande radiação de dinossauros e seus parentes e das aves no Mesozoico. Todos os crocodilos atuais fazem parte de uma linhagem que se iniciou no fim do período Cretácico, diferindo muito pouco nos detalhes estruturais dos crocodilianos primitivos do início do Mesozoico.
Os crocodilos atuais estão divididos em três famílias: os Aligatorídeos que incluem os aligatores e os caimões, um grupo existente sobretudo no Novo Mundo; os Crocodilídeos ou crocodilos que estão amplamente distribuídos e incluem o crocodilo de água salgada, um dos maiores répteis vivos; e os Gavialídeos que incluem os gaviais, representados por uma única espécie na Índia e na Birmânia.

Todos os crocodilos (crocodilianos) têm um alargado e bem reforçado crânio e maxilares maciços e musculares adaptados a permitir uma grande e rápida abertura da boca e o seu eficiente fecho. Os dentes, em número de 18 ou 19 de cada lado da maxila superior e 15 na maxila inferior, estão implantados em alvéolos, um tipo de dentição que era típico de todos os arcossauros bem como das primeiras aves.

Outra adaptação que não se encontra em nenhum outro vertebrado, exceto nos mamíferos, é um completo palato, que separa a boca das fossas nasais. Esta inovação permite respirar quando a boca está cheia de água, ou alimentos, ou ambos.

Os crocodilos verdadeiros podem atingir um comprimento superior a cinco metros e atingir um peso de 1000 quilos. Têm um focinho relativamente curto, com a superfície dorsal da cabeça irregular, sem cristas bem definidas.

Os indivíduos que constituem a ordem dos crocodilos têm o corpo largo, cabeça grande e comprida (os ouvidos, os olhos e orifícios nasais estão situados na parte superior da cabeça), mandíbulas poderosas, providas de dentes cónicos implantados em alvéolos, quatro patas curtas que terminam em dedos com unhas e membranas interdigitais. As costelas estão ligadas ao esterno, a cauda é grande, pesada e comprida.

A pele é grossa e coriácea, com escudos córneos, sendo os do dorso e abdómen retangulares e interiormente reforçados por ossos dérmicos. A abertura auditiva é protegida por uma prega da pele, a língua não é protáctil e o coração está dividido em quatro cavidades com os ventrículos separados.

Não possuem bexiga urinária, são ovíparos e depositam os ovos em "ninhos" constituídos por substâncias vegetais em decomposição. A postura varia entre 20 e 50 ovos. A fecundação é interna e, para a realizarem, dispõem de um órgão de copulação simples. O acasalamento ocorre sempre na água, onde os machos realizam vistosas paradas nupciais.

Os nascituros medem de 20 a 30 centímetros de comprimento, têm cabeça relativamente curta, embora cresça rapidamente e membros proporcionalmente mais longos que os dos adultos. São geralmente de cor verde-azeitona.

Na água, a rapidez dos seus movimentos deve-se sobretudo à força da sua cauda. Em terra deslocam-se mais depressa do que é habitual supor.

A alimentação dos crocodilos varia com a idade. Comem desde pequenos insetos até vertebrados, especialmente peixes.

O crocodilo estuarino (Crocodylus pocossus) encontrado na Ásia central e o crocodilo do Nilo (Crocodylus niloticus) atingem grande tamanho (têm sido referidos indivíduos com o peso de 1000 kg), são rápidos e agressivos e são conhecidos por atacarem animais de grande tamanho, como bovinos, veados e humanos.

Os aligatores ou caimões americanos (Alligator mississippiensis), são menos agressivos que os crocodilos e menos perigosos para os humanos. O gavial dos Ganges, Índia e Birmânia, (Gavialis gangeticus), alimenta-se de peixes e tem o focinho comprido, estreito e muito diferenciado do resto do crânio. Pode ultrapassar os 6,5 m de comprimento.
Como referenciar: crocodilo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-16 08:02:27]. Disponível na Internet: