cronómetro

O cronómetro é semelhante a um relógio de bolso, possuindo um grande mostrador para indicar os segundos e frações de segundo. Por vezes, para uso científico mede até aos milésimos de segundo. Possui um movimento de relojoaria, com um escape de âncora especial, que permite assegurar que o impulso inicial e a travagem se façam com extrema precisão.
Atualmente a grande maioria dos cronómetros são eletrónicos.
As navegações oceânicas a partir do século XV apresentavam um problema quanto à determinação da longitude. Um dos métodos mais simples e direto implicava a medição do tempo, mas nessa altura os relógios de bordo eram as ampulhetas cujos erros grosseiros não permitiam o seu uso para a realização de cálculos.
Para a construção do primeiro cronómetro foram precisos vários avanços técnicos na relojoaria. Em 1671 William Clement concebe o escape de âncora.
Em 1714 o Parlamento Britânico prometeu uma recompensa a quem descobrisse um método prático para o cálculo da longitude no mar. Faltava pois um aparelho com grande precisão e fiabilidade.
Foi John Harrison (1693-1776) que, em 1735, construiu o primeiro cronómetro marítimo que pesava 35kg. Foi ensaiado pela marinha inglesa a bordo do Centurion numa viagem a Lisboa.
Este inventor aperfeiçoou o cronómetro tanto em precisão como em tamanho. Foram vários os modelos que ele concebeu e o último ficou concluído em 1760. Pesava somente 1,5 kg e foi testado numa viagem à Jamaica.
Apesar do grande sucesso que foi a invenção do cronómetro os comandantes tinham receio na fiabilidade do novo instrumento. Este só começou a ser usado regularmente em meados do século XIX com o aparecimento da emissão de um sinal horário que permitia o acerto destes.
Como referenciar: Porto Editora – cronómetro na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-03 11:24:13]. Disponível em