Cruz Vermelha

Organização humanitária internacional não governamental, a Cruz Vermelha foi criada para prestar auxílio às vítimas da guerra. Pode situar-se a sua origem em 1863, ano em que um grupo de cinco cidadãos de Genebra - Jean-Henri Dunant, Gustave Moynier, Louis Appia, Théodore Maunoir e general Guillaume-Henri Dufour - instituiram comités para Proteção e Socorro aos Militares Feridos e Doentes em Tempo de Guerra. A atual Federação Internacional das Sociedades Cruz Vermelha e Crescente Vermelho (organização equivalente à Cruz Vermelha entre os muçulmanos) formou-se em Paris em 1919, com o nome Liga das Sociedades da Cruz Vermelha. O primeiro objetivo da federação, cujos membros fundadores representavam a Cruz Vermelha de França, Reino Unido, Itália, Japão e Estados Unidos, era o de melhorar a saúde dos povos que tinham sofrido duramente com os quatro anos de guerra.
O objetivo global da federação, de acordo com os seus estatutos, é promover todos os tipos de ação humanitária com o fim de prevenir e aliviar o sofrimento humano, contribuindo, assim, para a manutenção da paz no mundo. Os seus membros encontram-se distribuídos por mais de 160 países, estando a sede em Genebra (Suíça). A ajuda não tem limites geográficos estabelecidos.
A Cruz Vermelha Internacional e o Movimento do Crescente Vermelho regem-se por sete princípios fundamentais: humanidade (levar ajuda aos feridos no campo de batalha sem quaisquer discriminações, prevenir e aliviar o sofrimento humano), imparcialidade (não discriminar ninguém com base na nacionalidade, raça, crenças religiosas e opiniões políticas), neutralidade (não devem os seus membros tomar partido em conflitos ou sequer comprometer-se com qualquer tendência política, raça, religião ou ideologia), independência (tratando-se de movimentos independentes, os seus serviços humanitários nos diversos países devem manter a sua autonomia), serviço voluntário (do auxílio prestado aos mais necessitados não é esperado qualquer lucro), unidade e universalidade.
A atuação da Cruz Vermelha em tempo de paz ocorre em caso de catástrofes (terramotos, inundações, ciclones, seca, fome, epidemias) e, de uma maneira geral, em situações em que a população tenha necessidade de cuidados de saúde ou outro tipo de assistência. Em tempo de guerra, a federação e as sociedades nacionais prestam auxílio à população civil em geral, aos internados, feridos e prisioneiros de guerra, e aos refugiados.
Em Portugal, a Cruz Vermelha foi fundada em 1864, com a assinatura da primeira Convenção de Genebra. O representante do nosso país naquela cidade foi o cirurgião, delegado do rei D. Luís, José António Marques. A Cruz Vermelha Portuguesa, ao longo da sua já longa existência, tem prestado valiosos serviços ao país, tanto em tempo de guerra como em tempo de paz. Por isso, foram-lhe já atribuídas diversas condecorações. De entre estas, merecem destaque a Ordem Militar de Torre e Espada, Valor, Lealdade e Mérito, concedida em 1919; a Ordem Militar de Cristo, concedida em 1925; a Grã-Cruz de Benemerência, concedida em 1933; a Ordem do Infante D. Henrique, concedida em 1982; e muitas outras demonstrações de homenagem e reconhecimento, no país e no estrangeiro.
A própria organização internacional da Cruz Vermelha foi agraciada por três vezes com o Prémio Nobel da Paz, em 1917, 1944 e 1963.
A 8 de maio, comemora-se o Dia Mundial da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho.
Como referenciar: Cruz Vermelha in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-12-01 18:59:50]. Disponível na Internet: