defetivo

Termo que designa o verbo cuja conjugação é incompleta, uma vez que não flexiona em todas as formas possíveis num paradigma flexional regular. São exemplos de verbos defetivos: reaver (que só se usa nas formas em que o verbo haver tem v: reavemos, reaveis, reavia, reouve, etc.), colorir, abolir, falir, extorquir, retorquir, etc.

O Dicionário Terminológico distingue dois tipos de verbos defetivos:
Verbos defetivos unipessoais: verbos que exigem um sujeito específico e que portanto são utilizados apenas na 3.ª pessoa do singular e do plural. Regra geral, estes verbos exprimem vozes de animais: ladrar (ex: o cão ladra, o cavalo relincha, as rãs coaxam), etc.

Verbos defetivos impessoais: verbos que apresentam um sujeito nulo expletivo, pelo que apenas se conjugam na 3. ª pessoa do singular, salvo quando usados em sentido figurado. Regra geral, este verbos exprimem fenómenos atmosféricos: amanhecer (ex: amanheceu às 6h), chover (ex: choveu muito esta noite), nevar (ex: neva no inverno), trovejar (ex: trovejou ontem?), relampejar, etc. O verbo haver quando significa existir também é impessoal (ex: havia muitos problemas no país).

Como referenciar: defetivo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-16 15:02:06]. Disponível na Internet: