determinação do ponto de ebulição

O ponto de ebulição de um líquido depende da pressão atmosférica do local em que é determinado.
Existem duas técnicas para se determinar o ponto de ebulição: uma tradicional e outra usando um aparelho automático.
No que diz respeito à técnica tradicional, esta é uma das mais antigas e simples usadas na determinação do ponto de ebulição de um líquido e consiste na utilização de material simples de laboratório: suporte universal com nozes e garras, tripé, tubo de ensaio, rolha, termómetro, gobelé e capilar.
Começa-se por introduzir o líquido do qual se pretende determinar o ponto de ebulição no tubo de ensaio e coloca-se este último dentro dum gobelé com água destilada.
O gobelé é colocado em cima do tripé com placa e procede-se ao seu aquecimento.
Dentro do tubo de ensaio é colocado o termómetro e o capilar. O termómetro nunca deve ficar mergulhado no líquido.
Quando o líquido entrar em ebulição, isto é passar à fase gasosa, anota-se o valor da temperatura lida no termómetro.
Devem realizar-se pelo menos três ensaios para a determinação do ponto de ebulição.
À semelhança do que acontece para a determinação do ponto de fusão, existem aparelhos automáticos que permitem a determinação do ponto de ebulição. Estes aparelhos apresentam diversas vantagens em relação à determinação laboratorial, nomeadamente rapidez, precisão, exatidão e o uso de pequenas quantidades de amostra.
O princípio de funcionamento do aparelho é simples e basta, após calibração do aparelho, introduzir o sensor numa amostra da substância da qual se pretende determinar o ponto de ebulição, contida em cápsula apropriada.
Como referenciar: Porto Editora – determinação do ponto de ebulição na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-04 20:44:48]. Disponível em