Artigos de apoio

didascália
As didascálias (do grego didaskália = instrução, ensinamento) eram, na antiga Grécia, as instruções que os poetas dramáticos davam aos atores para a representação cénica; por vezes, designavam as próprias representações teatrais ou festivais trágicos. Atualmente, por extensão, incluem diversas informações: a listagem inicial de personagens; a indicação do nome da personagem antes de cada fala; anotações sobre a estrutura externa da obra; referências aos adereços que compõem o espaço cénico; informações sobre tom de voz, gestos, atitudes; o momento da entrada em cena e o percurso a realizar; indicações sobre o guarda-roupa; (...).
Consideradas como texto secundário, as didascálias servem de suporte do texto dramático, constituído pelo chamado texto principal (falas, réplicas ou atos linguísticos que se destinam à comunicação dos atores entre si e que os espectadores possam ouvir).
Por exemplo, a peça Felizmente Há Luar!, de Luís de Sttau Monteiro, é rica de marcações: movimentos, posições, cenários, gestos e tons de voz (capazes de traduzir sarcasmo, ironia, escárnio, indiferença, galhofa, adulação, desprezo, irritação ou tristeza, esperança, medo, desânimo), vestuário, sons (o som dos tambores, o silêncio, a voz que fala antes de entrar no palco, um sino que toca a rebate, o murmúrio de vozes, o toque de uma campainha, o murmúrio da multidão) e efeitos de luz (o contraste entre escuridão e luz; os dois atos terminam em sombra, de acordo, aliás, com o desenlace trágico).
Como referenciar: didascália in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-08-18 17:36:26]. Disponível na Internet: