Dinastia Tokugawa

Este clã aristocrático japonês, procedente da dinastia dos Minamoto, constitui a terceira e última das dinastias de Xoguns (1603 - 1867), sendo, todavia, a mais importante, em termos históricos, de todas.
Foi fundada por Tokugawa Ieyasu (1542 - 1616) que se proclamou xogum hereditário, em 1603, depois de ter vencido os seguidores de Toyotomi Hiedeyoshi, assegurando assim a unidade administrativa do Japão.
Os Tokugawa instalaram a sua capital em Edo (Tóquio) e os daimyo (ou senhores territoriais) foram, então, integrados numa organização que impossibilita qualquer tentativa de rebelião e em que tudo se subordinava ao xogunato. Por outro lado, o Japão, com os Tokugawa, isolou-se em relação ao exterior, expulsando os portugueses e os espanhóis e perseguindo os católicos, para além de proibir qualquer japonês de abandonar o país.
Durante o século XIX, esta política de isolamento dificultou o progresso japonês, apesar de durante os dois séculos anteriores, graças ao clima de paz, se ter favorecido o florescimento cultural do país. Os Tokugawa, porém, no século passado, tiveram que enfrentar levantamentos populares e sofrer a pressão ocidental para abrir os seus portos.
O último Tokugawa, Yoshinobu, cede, em 1867, os seus poderes ao imperador Mutsuhito.
Como referenciar: Porto Editora – Dinastia Tokugawa na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-26 01:37:47]. Disponível em