Dino De Laurentiis

Produtor italiano, Agostino De Laurentiis nasceu a 8 de agosto de 1919, em Torre Annunziata, e faleceu a 11 de novembro de 2010, em Los Angeles, Estados Unidos da América. Aos 17 anos, saiu de casa para estudar em Roma no Centro Sperimentale di Cinematografia. Não conseguiu arranjar emprego na sua área de formação, a direção de fotografia, mas fez trabalhos menores na indústria do cinema, até que, aos 20 anos, chegou a produtor. Serviu o exército italiano durante a Segunda Guerra Mundial e voltou depois à produção. Ganhou projeção internacional com o neorrealista Riso Amaro (Arroz Amargo, 1949), casando com a sua estrela, Silvana Mangano. Nos anos 50, estabeleceu uma parceria com Carlo Ponti que obteve alguns êxitos, como os filmes de Fellini La Strada (A Estrada, 1954) e Le Notti di Cabiria (As Noites de Cabíria, 1957). Com a rutura entre eles, Dino virou-se mais para o lado industrial do cinema e fundou o seu próprio complexo de produção, a que chamou Dinocittà, uma espécie de rival da famosa Cinecittà. Nesta fase, produz filmes mais populares e espetaculares, mas no final da década de 60 a crise no cinema italiano e alguns filmes falhados conduziram o estúdio à falência. Decidiu emigrar para os Estados Unidos, onde iria produzir mais alguns filmes de sucesso, quer a nível crítico quer a nível de público: Barbarella (1968), com a estrela Brigitte Bardot; Death Wish (O Justiceiro da Noite, 1974), com Charles Bronson a iniciar a série em que interpretou uma das suas personagens mais emblemáticas; Three Days of the Condor (Os Três Dias do Condor, 1975); Flash Gordon (1980), uma das primeiras adaptações espetaculares da BD; Ragtime (1981), mostrando o talento de Milos Forman; ou Conan the Barbarian (Conan e os Bárbaros, 1982), que catapultou para a fama Arnold Schwarzenegger. Em 1984, fundou a DEG (De Laurentiis Entertainment Group), estúdios situados em Wilmington, mas os fracassos de bilheteira - nomeadamente Dune (1984), de David Lynch - obrigaram ao fecho do estúdio quatro anos depois.
Em 1993, conseguiu contratar Madonna para fazer Body of Evidence (Corpo de Delito), mas o filme foi arrasado pela crítica. Considerado acabado por esta altura, De Laurentiis provaria o contrário quando produziu a sequela de The Silence of the Lambs (O Silêncio dos Inocentes, 1991), Hannibal (2001), de Ridley Scott, a que se seguiria a "prequela" Red Dragon (Dragão Vermelho, 2002).
Em 2001, venceu o Irving Thalberg Memorial Award e, em 2003, o Leão de Ouro do Festival de Veneza pela sua carreira. É pai da também produtora Raffaella De Laurentiis.
Como referenciar: Dino De Laurentiis in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-23 21:09:11]. Disponível na Internet: