Diocleciano

Imperador romano de seu nome completo Caio Aurélio Valério Diocleciano, nasceu em Dioclea em 245.
O seu governo de 21 anos caracterizou-se pela capacidade administrativa sustentada num carácter e numa personalidade carismáticas.
Baseou a sua ação na premissa de dividir para governar. Neste sentido, entregou o governo da parte ocidental do Império ao seu camarada de armas Maximiano, sediado em Milão, delegando em si próprio a gestão da parte oriental, fazendo, tal como Augusto, uma administração pessoal a partir de Nicomedia, no Mar de Mármara. Em 293 cada um deles escolheu um sucessor: Diocleciano apontou Galério e Maximiano Constâncio Cloro. Desta forma formou-se um governo repartido a quatro, conhecido como a "tetraquia".
No campo militar desenvolveu campanhas contra os Persas, assegurando uma paz de quase quarenta anos e estabilizando o domínio romano na Mesopotâmia e zona do Cáucaso.
Dividiu as províncias em unidades administrativas mais pequenas, de forma a aumentar a precisão do controlo, a limitar as rebeliões militares e consequentes candidatos ao trono, facilitando de igual modo a implementação de medidas económicas mais rígidas. Diocleciano desenvolveu uma estratégia que visava minimizar o descalabro económico provocado pelos seus predecessores, mas tal não foi objetivamente conseguido. Fica como referência governativa o esforço que empreendeu para separar a função pública da militar e a tentativa de minimizar as diferenças entre a Itália e a província.
Em 304 Diocleciano teve um colapso, vendo-se obrigado a abdicar no ano seguinte, retirando do poder o co-imperador Augusto Maximiano. Morre em 313.
Como referenciar: Porto Editora – Diocleciano na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-21 14:17:49]. Disponível em