disprósio

O disprósio, cujo símbolo químico é Dy, é um elemento químico sólido, metálico, macio quando cortado à faca, dúctil, estável no ar, pertencente ao grupo dos metais das terras raras (lantanídeos), de cor branco-prateada, que se localiza no grupo 3 e período 6 da Tabela Periódica.
Este elemento possui número atómico 66 e massa atómica 162,500.
O metal branco-prateado de disprósio é eletropositivo e reage lentamente com a água fria e muito rapidamente com a água quente, formando hidróxido de disprósio (Dy(OH)3) e hidrogénio gasoso. O disprósio também reage com todos os halogéneos formando haletos de disprósio.
O disprósio dissolve-se instantaneamente no ácido sulfúrico diluído e origina a formação de soluções contendo o ião amarelo Dy(III) e libertação de hidrogénio gasoso.
Existem sete isótopos naturais e foram identificados 12 isótopos artificiais.
O disprósio foi descoberto em Paris, França, em 1886, pelo cientista francês Paul Emile Lecoq de Boisbaudran, como uma impureza do óxido de érbio, mas o elemento isolado não foi descoberto nessa altura. Nem o óxido nem o metal foram preparados suficientemente puros até 1950, altura em que se deu o desenvolvimento do processo de separação de troca de iões.
É um metal existente comercialmente e, portanto, não é comum produzi-lo em laboratório, isto também porque há grande dificuldade em separá-lo do metal puro.
O nome disprósio deriva do grego dysprositos que significa difícil de obter.
Os lantanóides (grupo de metais das terras raras), dos quais faz parte o disprósio, são encontrados na Natureza em alguns minerais. Os principais minérios do disprósio são a gadolinite, a apatite e a xenotima, dos quais é obtido por um processo de transferência de iões.
Os compostos de disprósio raramente são encontrados em pessoas. Todos estes compostos são altamente tóxicos, embora demonstrações iniciais possam sugerir que o risco é limitado.
O pó de metal pode provocar risco de fogo e explosão.
O disprósio apresenta um uso limitado nalgumas ligas como absorvente neutro, particularmente em tecnologia nuclear. Em combinação com o vanádio e outros elementos do grupo de metais das terras raras, o disprósio é usado para produzir materiais laser. É também usado para produzir CDs.
Como referenciar: disprósio in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-04 15:21:05]. Disponível na Internet: