domótica

Integrada na arquitetura da casa desde o seu projeto inicial, a domótica permite uma gestão avançada da maioria dos mecanismos disponíveis para os residentes no dia a dia, automatizando tarefas e otimizando recursos.
Os passos iniciais neste campo foram dados no sentido de conceber mecanismos que permitissem controlar automaticamente aspetos como a iluminação, para que esta fosse, por exemplo, ativada quando a luz exterior se tornasse demasiado fraca.
A climatização e a segurança foram também alvo dos primeiros esforços, com o desenvolvimento de temporizadores e sensores de temperatura para aparelhos de ar condicionado, ou de alarmes com deteção de movimento para os vários compartimentos. Atualmente, com a evolução das tecnologias de comunicação, praticamente não existem limites para as capacidades da domótica.
Recorrendo a ela, é possível programar previamente o funcionamento de vários sistemas domésticos, controlando aspetos como o fecho de portas e estores, intensidade da iluminação, temperatura de cada divisão ou até a rega automática de plantas ou a alimentação de animais de estimação.
Pela sua integração com as tecnologias de comunicação, é possível até controlar à distância inúmeros aspetos do lar, desde a abertura de portas pelo acionar de um comando à distância, à visualização do interior de uma divisão através de uma câmara cujas imagens o utilizador pode ver pela Internet.
Esta tecnologia permite ainda dotar toda a casa de sensores específicos que avisam de imediato o proprietário e as autoridades competentes no caso de uma intrusão, fuga de gás ou princípio de incêndio, entre muitas outras possibilidades.
Como referenciar: domótica in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-12 21:03:41]. Disponível na Internet: