downsizing

Todas as empresas devem desenvolver a sua atividade de acordo com uma orientação estratégica que esteja adequada às características internas e ao ambiente externo no qual se movimentam. Essa estratégia deve ser desde logo baseada numa análise adequada das competências internas da empresa, designadamente das suas competências nucleares, ou seja, daquelas que estão ligadas aos fatores críticos de sucesso da atividade que desenvolve. Paralelamente, deve ser também efetuada uma análise dos fatores externos que condicionam a atividade da empresa, no sentido de detetar as oportunidades que a cada momento se lhe apresentam. Esta análise é vulgarmente designada por análise SWOT e tem o mérito de fornecer dados importantes para que a empresa defina o caminho mais adequado a seguir em termos estratégicos. A partir daí é então definido o plano estratégico que se consubstancia na definição de objetivos estratégicos, com carácter de médio e longo prazo, que vão por sua vez moldar os objetivos de mais curto prazo e, em consequência, toda a atividade da empresa.
A identificação e desenvolvimento das competências nucleares são assim aspetos fundamentais para a performance no curto, médio e longo prazo de qualquer empresa ou instituição. Além disso, as empresas devem adaptar toda a sua estrutura organizativa e produtiva a essas competências e, em geral, à estratégia que definiram. No entanto, no decorrer do tempo aparece muitas vezes como fator de alteração das condicionantes internas e externas que moldam a atividade dessas mesmas empresas. Nesse contexto, torna-se por vezes necessário proceder a reestruturações por forma a atualizar e adaptar as características das empresas às novas situações e aos novos desafios.
Uma das reestruturações de carácter estratégico que as empresas têm por vezes de implementar é o chamado downsizing. A origem da necessidade de reestruturação pode ter como base vários fatores, tanto da responsabilidade das empresas (atitude passiva ao longo do tempo com eventual desgaste das competências nucleares), como de fatores externos (imprevisibilidades). O processo de downsizing corresponde à redução por vezes radical da dimensão de uma empresa, normalmente com incidência em dois aspetos fundamentais, de forma isolada ou simultânea: abandono de áreas de negócio que não apresentem performances consentâneas com as necessidades da empresa e/ou não estejam ligadas às suas áreas de competências distintivas face à concorrência; simplificação da estrutura organizacional e hierárquica da empresa, designadamente através da eliminação de níveis hierárquicos que sejam considerados dispensáveis.
A opção por um processo de downsizing tem por norma dois objetivos interdependentes: a redução de custos e o aumento da rendibilidade da empresa. Neste contexto, pode dizer-se que muitos processos de downsizing têm origem também na existência de dificuldades ao nível económico-financeiro.
Por regra, e tendo em conta os seus objetivos, um processo de downsizing implica a redução do pessoal ao serviço da empresa, razão pela qual este conceito é normalmente ligado a despedimentos em massa e não propriamente a um processo de reestruturação.

Como referenciar: downsizing in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-18 07:33:20]. Disponível na Internet: