Dustin Hoffman

Ator de cinema e de teatro norte-americano nascido a 8 de agosto de 1937, em Los Angeles, de seu nome completo Dustin Lee Hoffman. É um ator dotado de uma carga emocional intensa e também de uma vulnerabilidade que atrai a simpatia das audiências. Desde a infância que perseguiu o sonho de se tornar ator, tendo ido em 1957 para Nova Iorque onde se matriculou na prestigiada Actors Studio. Os primeiros tempos foram difíceis: partilhou um pequeno apartamento com Gene Hackman e, para pagar o curso de interpretação, foi obrigado a trabalhar como porteiro. Em inícios da década de 60, conseguiu protagonizar algumas peças no circuito teatral off-Broadway e em alguns telefilmes. Estreou-se em cinema no obscuro The Tiger Makes Out (1966), mas o seu segundo filme tirou-o rapidamente do anonimato: The Graduate (A Primeira Noite, 1967) apresentava ao grande público um jovem e talentoso ator que se movimentava com uma inusitada naturalidade num exigente papel dum jovem dividido entre o amor pela namorada e a atração sexual pela mãe dela. A sua interpretação valeu-lhe a nomeação para o Óscar de Melhor Ator, feito que repeteria dois anos depois por outro inesquecível desempenho: o de Ratso Rizzo, um marginal das ruas, minado pela tuberculose que estabelece uma estranha amizade com um gigolo inexperiente (Jon Voight) em Midnight Cowboy (O Cowboy da Meia Noite, 1969). Confirmou o seu percurso ascensional na década de 70: foi um branco criado por índios em Little Big Man (O Pequeno Grande Homem, 1970), um matemático pacifista que é obrigado a empunhar armas para defender a sua casa em Straw Dogs (Cães de Palha, 1971), um condenado em Papillon (1973) e recriou de forma magistral o controverso humorista Lenny Bruce em Lenny (1974), tendo sido contemplado com nova nomeação para Óscar. Os cinéfilos sabiam que era uma questão de tempo até Hoffman vencer um Óscar: após as enérgicas performances em All The President's Men (Os Homens do Presidente, 1976) e em The Marathon Man (O Homem da Maratona, 1976), venceu o Óscar pelo melodrama Kramer Versus Kramer (Kramer Contra Kramer, 1979). Nos anos 80, continuou na mó de cima: foi uma mulher em Tootsie (Quando Ele Era Ela, 1982) e venceu o seu segundo Óscar pela personificação dum autista em Rain Man (Encontro de Irmãos, 1988). Nos seus trabalhos seguintes, continuou a demonstrar a sua faceta de incansável perfeccionista. Foi um impagável Capitão Gancho em Hook (1991), um herói indigente em Hero (Herói Acidental, 1992), um jornalista sem escrúpulos em Mad City (Cidade Louca, 1997) e um pouco ortodoxo conselheiro presidencial em Wag the Dog (1997), num papel que lhe valeu uma nomeação para o Óscar para Melhor Ator Secundário. Após fracassos de bilheteira como Sphere (A Esfera, 1998), voltou aos êxitos, contracenando com o seu velho amigo Gene Hackman no thriller Runaway Jury (O Júri, 2003). Trabalhou de seguida com Johnny Depp e Kate Winslet no premiado Finding Neverland (À Procura da Terra do Nunca, 2004) de Marc Forster; contracenou com Robert De Niro na comédia Meet The Fockers (Uns Compadres do Pior, 2004 ); com Andy Garcia no filme que este mesmo realizou, The Lost City (Havana - Cidade Perdida, 2005); e vestiu a pele do perfumista Giuseppe Baldini em Perfume: The Story of a Murderer (O Perfume - História de um Assassino, 2006), numa adaptação ao grande ecrã do livro O Perfume, da autoria de Patrick Süskind.
Como referenciar: Dustin Hoffman in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-05-25 22:19:55]. Disponível na Internet: