E. T. - O Extraterrestre

Filme de aventura e ficção científica realizado por Steven Spielberg em 1982, trata-se de uma das obras cinematográficas que maior êxito mundial alcançou pelo facto de tratar de uma forma bastante original um tema que inspirou e ainda inspira vários realizadores: os extraterrestres. Aqui, estes aparecem como personagens dóceis e amigáveis, principalmente devido ao boneco que desempenha o papel principal de E. T. (o extraterrestre) pois confere à personagem, através dos efeitos especiais visuais e sonoros, um carácter inocente, infantil e desprotegido, despertando as mais variadas emoções nos espectadores. Estes sentimentos são reforçados quando se trava a amizade entre o E. T., uma criatura que se encontra muito distante do seu planeta, e Elliot (Henry Thomas), um menino que se sente solitário no seu próprio mundo. E. T. - O extraterrestre ficou na História do cinema como um dos marcos da ficção científica e ficou famoso com a célebre frase: "E. T. phone home" ("E. T. telefonar para casa") e pelo gesto que fazia com a mão apontando o dedo indicador cuja extremidade se iluminava quando pretendia curar uma ferida ou comunicar. O boneco, criado por Carlo Rambaldi, foi um extraordinário fenómeno de popularidade, tendo arrecadado milhões de dólares em merchandising. O filme serviu também como cartão de apresentação de Drew Barrymore, aqui com apenas oito anos mas que viria a ser mais tarde uma das mais célebres atrizes de Hollywood. Apesar de nomeado para Melhor Filme e Melhor Realizador, a Academia remeteu-o para as categorias menores, tendo vencido quatro Óscares: Melhores Efeitos Sonoros, Melhores Efeitos Visuais, Melhor Som e Melhor Banda Sonora Original, aqui a premiar uma magnífica partitura de John Williams.
Como referenciar: E. T. - O Extraterrestre in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-07 02:33:13]. Disponível na Internet: