economia

Enquanto disciplina científica, a Economia tem por objeto de estudo a sociedade, prestando particular atenção à sua componente económica. Estuda a forma pela qual os recursos são combinados para produzir bens capazes de satisfazer as necessidades existentes. De facto, a atividade económica é caracterizada pela satisfação das necessidades com meios quantitativamente limitados. Por outras palavras, os recursos disponíveis são sempre insuficientes para atender a todas as necessidades económicas existentes. O que caracteriza a Economia é precisamente essa adaptação de meios escassos às necessidades existentes (princípio da escassez). É este o problema básico da Economia. É a escassez de recursos que provoca a esmagadora maioria dos problemas económicos.
A Economia é uma ciência social. Como tal, não se podem, em Economia, estabelecer relações do tipo causa-efeito que se verifiquem sempre (como no caso das ciências exatas), uma vez que os fenómenos económicos são influenciados por comportamentos humanos que, pela sua essência, não são previsíveis de forma exata.
Contudo, é possível estabelecer relações lógicas de causalidade que, em princípio, se irão verificar. Por exemplo, se a taxa de juro aumenta, é de esperar que os empresários invistam menos, na medida em que o custo do crédito passa a ser mais elevado. No entanto, e apesar de este ser o comportamento económico esperado (aquele que é tido por lógico), nada impede que o investimento aumente.
Para um eficaz estudo da realidade económica, constroem-se modelos teóricos, ou seja, generalizações abstratas do mundo em que voluntariamente se simplificam alguns aspetos dessa realidade. A título de ilustração, pode referir-se que uma das simplificações habituais é, quando se pretende determinar o efeito da alteração do valor de uma variável no comportamento de outra, efetuar uma análise ceteris paribus, isto é, manter tudo o resto constante. Dessa forma, a alteração no comportamento da variável-efeito só poderá ter sido provocada pela variação na variável-causa. Se, por exemplo, o objetivo for averiguar qual o efeito de uma variação no preço de um bem no seu consumo, consideram-se constantes o rendimento dos consumidores, as suas preferências, os preços de outros bens (substitutos e complementares), apenas se fazendo variar o preço e o consumo desse bem.
Como referenciar: Porto Editora – economia na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-22 02:13:32]. Disponível em