ectoderme

Todos os animais resultam de um processo de reprodução sexuada, em que ocorre a união de duas células germinativas, uma da linhagem feminina e uma da linhagem masculina, formando-se um ovo diploide.
Após a fecundação, o ovo inicia uma série de divisões mitóticas, passando por várias fases de diferenciação sucessivas. Primeiro, forma-se um glóbulo de células, denominado mórula, que, posteriormente evolui para a fase de blástula, caracterizada pela presença de uma cavidade central, o blastocélio, envolta por uma camada de células, a blastoderme.
A continuação dos processos de divisão celular, acompanhada da migração e rearranjos topográficos das células, irá, na fase de gastrulação, originar um embrião didérmico, a gástrula. Este embrião apresenta-se formado por duas camadas celulares: uma, mais interna, é denominada de endoderme, revestindo o intestino primitivo; a outra, mais externa, é denominada de ectoderme. Na maior parte dos filos animais, forma-se ainda uma terceira camada celular, a mesoderme, situada entre as duas anteriores. A ectoderme, além de revestir externamente o embrião, assume diversos papéis no decurso da organogénese, dando origem a várias estruturas.
A ectoderme é a camada embrionária que dará origem aos componentes do sistema nervoso. No final da fase de gastrulação, inicia-se a formação da placa neural, na zona dorsal da ectoderme, na qual, já no decurso da organogénese, se formarão o notocórdio e o tubo neural. Posteriormente, o tubo neural, por divisão e diferenciação celular, originará os tecidos componentes do sistema nervoso central.
Esta camada celular do embrião intervém, diretamente, na formação de alguns anexos embrionários. O âmnio, que reveste a cavidade amniótica, preenchida por um líquido que protege o embrião da dessecação e amortece os choques, é formado por uma dobra da ectoderme e pelo folheto parietal da mesoderme. O córion, importante estrutura embrionária, envolvida nas trocas respiratórias e que nos mamíferos intervém na formação da placenta, é formado por uma dobra da ectoderme, no sentido exterior do embrião, e também pelo folheto parietal da mesoderme.
Para além dos anexos embrionários, a ectoderme dará origem a diversos tecidos definitivos do adulto, como é o caso do tecido nervoso, órgãos dos sentidos, epiderme e estruturas de revestimento que se lhe apresentam associadas, como escamas, pelos e penas.
Como referenciar: ectoderme in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-15 03:02:53]. Disponível na Internet: