Edward W. Said

Político e teórico norte-americano, Edward W. Said nasceu em 1935, em Jerusalém, na Palestina. Em 1947, com a divisão da Palestina, a sua família refugiou-se no Cairo, no Egito. Estudou numa escola americana e, mais tarde, aos 16 anos, devido a problemas disciplinares, os pais resolveram enviá-lo para Massachusetts, nos Estados Unidos da América, a fim de prosseguir os estudos.
Amante da Literatura formou-se nesta área na Universidade de Princeton e, posteriormente, na de Harvard. Iniciou então a carreira de professor dando aulas de Literatura Inglesa e Comparada na Universidade de Columbia.
Em 1967, deu-se a guerra israelo-árabe e Said começou a pensar nas suas raízes como palestino, tendo começado a dedicar-se às suas origens culturais. Assim, passou a dedicar-se ao ensino literário e aos direitos dos palestinos. Nessa época, acusou os intelectuais de terem distorcido o ponto de vista ocidental sobre o Médio Oriente. Também acreditava que os norte-americanos viam os árabes de uma forma errada devido à hostilidade dos meios de comunicação social. Tornou-se, assim, uma das vozes mais importantes da causa palestina. A partir de 1975, Said escreveu diversos livros, a maioria tendo por temática o conflito no Médio Oriente. A sua obra mais conhecida, "O Orientalismo", data de 1978. Escreveu também uma autobiografia.
Nos finais da década de 70, chegou a membro do Conselho Nacional Palestino, mas demitiu-se em 1991 em protesto contra os acordos de Oslo, os quais não acreditava poderem levar à paz. Said discordava das linhas de força da OLP de Yasser Arafat.
Edward W. Said tornou-se uma voz de respeito da causa palestina e por diversas vezes foi convidado na qualidade de comentarista em canais de televisão e de rádio norte-americanos. Said dava pontos de vista polidos, sofisticados e isentos sobre o que sucedia no Médio Oriente.
A 17 de julho de 2002, Edward Said ajudou a fundar a Iniciativa Nacional Palestina (Mubadara), um movimento de oposição aos líderes palestinos.
Said foi também um reconhecido musicólogo e juntamente com o músico Daniel Barenboim fundou um projeto onde jovens palestinos, músicos israelitas e pessoas de outros países árabes partilhavam experiências. Também com Barenboim desenvolveu um programa educacional para ensinar, na Palestina, música e ciência sob uma perspetiva sagrada.
Edward W. Said morreu de leucemia a 24 de setembro de 2003, depois de ter travado um combate à doença ao longo de mais de dez anos.
Como referenciar: Edward W. Said in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-17 13:36:34]. Disponível na Internet: