Ellen DeGeneres

Atriz e comediante norte-americana, Ellen Lee DeGeneres nasceu a 26 de janeiro de 1958, em Metairie, Louisiana. Começou a sua carreira em 1981 como comediante em Nova Orleães e, em 1982, foi votada como a pessoa mais divertida da América. Em 1986, mudou-se para Hollywood e, mais tarde, em 1991, arrecadou o Prémio de American Comedy.
Estreou-se na televisão na série cómica Open House em 1989, a que se seguiu a série Laurie Hill (1992). Em 1993, fez a sua estreia no cinema com a comédia de ficção científica intitulada Coneheads, realizada por Steve Barron.
Recebeu a atenção e o reconhecimento do público quando, em 1994, estreou a série Ellen, onde interpretava o papel de Ellen Morgan, uma neurótica empregada de uma livraria com um sentido de humor apurado. A série esteve em exibição cinco anos e arrecadou três Emmys. Obteve muito sucesso junto do público, contudo, em 1997, após DeGeneres assumir publicamente a sua homossexualidade e o seu relacionamento de três anos com a também atriz Anne Heche, a personagem da série, também lésbica, tornou-se ativista e defensora dos direitos dos homossexuais. Com isso, a série acabou por ter menos audiências, tendo sido cancelada em 1998.
No cinema, teve o seu primeiro papel principal em 1996 com o filme Mr. Wrong (Mulher Sofre), ao lado de Bill Pullman e John Cusack e, em 1998, participou na comédia de Roland Joffé Goodbye Lover (A Sedutora). Ainda em 1998, emprestou a sua voz a um cão no filme Doctor Dolittle, protagonizado por Eddie Murphy. Seguiu-se a comédia EDtv (1999), de Ron Howard; a comédia romântica The Love Letter (Carta de Amor, 1999) e, em 2000, a participação no telefilme If These Walls Could Talk 2, que conta três histórias passadas em diferentes épocas sobre o aborto e o lesbianismo.
Em 2001, regressou à televisão com The Ellen Show, que acompanhava a vida de Ellen Richmond, uma executiva que decide voltar para a sua terra natal e levar uma vida mais simples junto da família e amigos de infância. A série foi aclamada pela crítica, mas acabou por ser cancelada ao fim de um ano.
Em 2003, voltou a emprestar a voz, desta vez num filme de animação, onde é um peixinho azul que sofre de amnésia, a hilariante Dory, que ajuda o pai do Nemo a encontrar o seu filho: o popularíssimo Finding Nemo (À Procura de Nemo). Ainda nesse ano, estreou o seu talk show diário intitulado Ellen Degeneres Show, onde entrevistava celebridades e recebia talentos musicais.
DeGeneres escreveu dois bestsellers: My Point... And I Do Have One (1996) e The Funny Thing Is...(2003).
Como referenciar: Porto Editora – Ellen DeGeneres na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-19 06:49:05]. Disponível em