Artigos de apoio

Emílio Peres
Médico português, considerado por muitos como o "pai dos nutricionistas portugueses", Emílio Fernando Alves Peres nasceu a 22 de julho de 1932, em Ermesinde.
Depois de concluído o liceu, iniciou os seus estudos de Medicina em 1949, na Faculdade de Medicina do Porto.
Entusiasmado pela área de Endocrinologia, mudou-se em 1955 para Lisboa, onde, no Hospital de Santa Maria, acabou por fazer o estágio. Terminou a sua licenciatura em 1957.
Ainda como estudante foi delegado de propaganda médica, tendo alcançado, mais tarde, importantes cargos de chefia que o levariam a desenvolver e aperfeiçoar técnicas nas áreas de Marketing e Gestão de Empresas, chegando a ser Diretor-geral de uma empresa farmacêutica em Portugal.
Entre muitas outras experiências em diferentes áreas - como, por exemplo, estagiário no IPO, assistente na Faculdade de Medicina ou militar na Guerra de Angola - iniciou-se na prática de clínica privada nas especialidades de Endocrinologia e Doenças da Nutrição em 1969.
Exerceu, de 1973 a 1975, o cargo de Vice-presidente da Secção Regional do Norte da Ordem dos Médicos, foi Chefe de Serviço de Endocrinologia do Hospital de S. João e, até 1976, docente na Faculdade de Medicina do Porto.
Acérrimo defensor de um serviço nacional de saúde moderno, representado por profissionais qualificados, a sua ideia de instituir a formação superior para nutricionistas só viria a concretizar-se em 1977. Integrou o Grupo de Trabalho Instalador do Curso de Nutricionismo, mais tarde Faculdade de Ciências da Nutrição da Universidade do Porto, tendo inaugurado o curso em fevereiro de 1977, com a sua aula de Alimentação Racional.
Organizou e integrou inúmeros seminários, cursos e palestras, e participou na Campanha de Educação Alimentar Saber Comer é Saber Viver - A Roda dos Alimentos - entre 1980 e 1982, promovida pelos ministérios da Economia, Educação, Saúde e Agricultura e Pescas.
Escreveu artigos para variadíssimas publicações, dos quais se salientam: "Clínica e Metabolismo da Obesidade" (1970), "Regime Alimentar e Regulação Glicémica em Diabéticos da Maturidade" (1980), "Alimentação Saudável em 1992" (1992), "Alimentação e Globalização" (1999) e "Pão - Insubstituível Mitigador da Fome" (2002). Publicou oito livros: Ideias Gerais sobre Alimentação Racional; Alimentação e Saúde (prémio da Academia de Ciências de Lisboa); Obesidade, Nutrição e Dieta; Alimentação Saudável; Saber Comer para Melhor Viver; Emagrecer - Por que se Engorda, como se Emagrece; Bem comidos e bem bebidos; e Alimentos e Alimentação.
Exerceu importantes funções em sociedades científicas, tendo sido, por exemplo: presidente da direção da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia; sócio-fundador da Sociedade Portuguesa de Bioquímica; sócio-fundador, vice-presidente e presidente da assembleia-geral da Sociedade Portuguesa para o Estudo da Obesidade; sócio-fundador e diretor da Sociedade Portuguesa de Ciências da Nutrição e Alimentação; sócio-fundador do Grupo Mediterrâneo para o Estudo da Diabetes; sócio-fundador da Sociedade Mediterrânea de Aterosclerose; e membro da Sociedade Portuguesa de Diabetologia, da Sociedade Portuguesa de Aterosclerose, da Sociedade Portuguesa de Alcoologia, da European Association for the Study of Diabetes, da Confraria do Pão do Alentejo, da Confraria do Azeite, da Confraria da Sopa, entre outras. Foi também presidente e, depois, membro do conselho diretivo da Universidade Popular do Porto.
Emílio Peres aposentou-se em 1992. No entanto, nunca deixou de participar em numerosas atividades - nas áreas da formação, ciência, política e comunicação - até à data da sua morte, que ocorreu a 26 de outubro de 2003, no Porto.
Como referenciar: Emílio Peres in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-07-24 14:06:47]. Disponível na Internet: