enálage

Figura de estilo que consiste na utilização de uma palavra com uma categoria gramatical diferente da original, obtendo um efeito inesperado de novidade e vivacidade linguística. Através da enálage, verbos (cfr. exemplo ii, iv), adjetivos, etc., podem ser substantivados, os verbos mudam de sistema argumental, ou seja, de intransitivos passam a transitivos ou pronominais (cfr. exemplo i), ou simplesmente passam a reger um complemento preposicional que antes não regiam (cfr. exemplo iii):
i) "Não sei quem me sonho...."
ii) "E a sombra de uma nau mais antiga que o porto que passa
Entre o meu sonho do porto e o meu ver esta paisagem"
iii) "A Grande Esfinge do Egito sonha por este papel dentro..."
iv) "De haver uma noite de primavera lá fora
Sobre o eu estar de olhos fechados...."
(Fernando Pessoa, "Chuva Oblíqua", Poemas de Fernando Pessoa, 1986, Lisboa: Ed. Comunicação p. 53-56)
Como referenciar: Porto Editora – enálage na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-07-25 00:33:42]. Disponível em