energia das ondas

As ondas do mar possuem energia cinética devido ao movimento da água e energia potencial devido à sua altura. A energia elétrica pode ser obtida se for utilizado o movimento oscilatório das ondas. O aproveitamento é realizado nos dois sentidos: na maré alta a água enche o reservatório, passando através da turbina, produzindo energia elétrica, na maré baixa a água esvazia o reservatório, passando novamente através da turbina, agora em sentido contrário ao do enchimento, e produzindo energia elétrica.
A desvantagem de se utilizar este processo na obtenção de energia é que o fornecimento não é contínuo e apresenta baixo rendimento. Além disso, as instalações não podem interferir com a navegação e têm que ser robustas para poder resistir às tempestades mas ser suficientemente sensíveis para ser possível obter energia de ondas de amplitudes variáveis.
O aproveitamento energético das marés é obtido através de um reservatório formado junto ao mar, através da construção de uma barragem, contendo uma turbina e um gerador.
A maioria das instalações de centrais de energia das ondas existentes são de potência reduzida, situando-se no alto mar ou junto à costa, para fornecimento de energia elétrica a faróis isolados ou carregamento de baterias de boias de sinalização.
Como referenciar: energia das ondas in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-12 00:16:44]. Disponível na Internet: