energias não renováveis

A grande fonte de energia do nosso planeta é o Sol. A ele se deve a fusão do gelo, transformando-o na água dos rios, dos lagos, etc. É o mesmo Sol que provoca a evaporação da água dos rios, mares, lagos, originando as nuvens. Depois, essa mesma água regressa à superfície da Terra sob a forma de chuva, neve, granizo, etc. permitindo o desenvolvimento dos seres vivos, animais e plantas.
Os seres vivos, por sua vez, vão armazenar energia ao longo da vida e, quando morrem, transferem para a terra a parte da energia que não foi utilizada. Esta fica armazenada, sob a forma de energia química, nos combustíveis fósseis (carvão, petróleo e gás natural). Como todo este processo é longo, não se pode comparar o ritmo de consumo desta energia com o respetivo ritmo de armazenamento. Por este motivo, os combustíveis fósseis são designados por fontes de energia não renováveis.
O mesmo acontece com o urânio, o rádio, o tório e muitos outros materiais radioativos que, por cisão dos núcleos dos respetivos átomos, libertam grandes quantidades de energia nuclear.
O consumo desenfreado de combustíveis fósseis, durante o século XX, desequilibrou a natureza, em termos de reservas energéticas. Este facto levou à procura de fontes de energia renováveis.
Como referenciar: energias não renováveis in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-21 00:57:29]. Disponível na Internet: