enunciado

A designação de enunciado é utilizada de forma muito polissémica em ciências da linguagem, de forma que tanto pode designar o produto do ato da enunciação, como pode ser considerado como uma sequência verbal de tamanho variável, opondo-se neste último caso a frase. A primeira aceção de enunciado está ancorada na teoria da enunciação de E. Benveniste (1974), posteriormente desenvolvida por O. Ducrot (1984), enquanto produto do ato de enunciação, independentemente do seu tamanho, que pode estar aquém ou além da unidade sintática constituída pela frase.
J. M. Adam, no quadro da Linguística de Texto, aproxima enunciado a discurso, distinguindo-o de texto. Para Adam, um enunciado no sentido material oral ou escrito não é um texto, objeto abstrato que deve ser pensado num quadro da sua estrutura composicional.
Como referenciar: Porto Editora – enunciado na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-26 16:48:45]. Disponível em