Escrava Isaura

Telenovela brasileira emitida pela TV Globo da autoria de Gilberto Braga, baseada no romance de Bernardo Guimarães e realizada por Herval Rossano. Dividida em 100 capítulos, foi exibida no Brasil de 11 de outubro de 1976 a 5 de fevereiro de 1977. Em Portugal, estreou em 1978, numa altura (desde a Gabriela, em 1975) em que o público já não dispensava a telenovela durante a semana no espaço da hora do almoço.
Foi a telenovela que lançou definitivamente a atriz Lucélia Santos. Isaura (Lucélia Santos) é uma escrava branca, filha de uma mulata, Juliana, que foi mucama numa fazenda em campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro. A sua mãe morreu ao dar à luz e Isaura fica órfã desde o seu nascimento, recebendo afeto, proteção e estima da bondosa senhora D. Ester (Beatriz Lyra), que a trata como se fosse sua filha, ao mesmo tempo que é desprezada pelo senhor, o Comendador Almeida (Gilberto Martinho). Entretanto, o seu pai, o ex-feitor Miguel (Atila Iorio), desde que descobriu onde estava a sua filha que luta para poder dar-lhe a liberdade merecida. De carácter dócil e submissa, Isaura sonha em conquistar a sua liberdade, principalmente depois de conhecer Tobias (Roberto Pirillo), dono de terras vizinhas, por quem se apaixona.
Mas Leôncio (Rubens de Falco), o filho único do Comendador Almeida, de temperamento cruel e autoritário, que volta da Europa para onde foi estudar, encantado com a sua beleza, persegue-a de uma forma persistente. Quando D. Ester morre, Isaura perde a sua protetora e sente-se cada vez mais pressionada por Leôncio. Este, irado pelo amor de Isaura e Tobias, num acesso de fúria comete um crime e incendeia a cabana onde mora Tobias, matando-o. Isaura tenta superar a dor e o desgosto e com a ajuda do pai e de um casal de amigos foge da fazenda e assume outra identidade, passando a chamar-se Elvira. Vai viver para outra região, Minas Gerais, onde conhece Álvaro (Edwin Luisi), um abolicionista rico por quem se apaixona. Contudo, numa festa, Isaura é desmascarada e obrigada a voltar para a fazenda com o seu senhor. Álvaro não desiste da sua amada e, ao saber que o seu inimigo Leôncio está falido, consegue arrendar todos os seus bens, inclusive a escrava que ama. Leôncio, inconformado, suicida-se.
A telenovela fez imenso sucesso no Brasil e no estrangeiro, tendo sido vendida para cerca de 150 países, tornando-se a novela brasileira mais comercializada.
Em 2005, começou a ser exibida na televisão portuguesa uma nova versão brasileira da telenovela, desta vez com a atriz Bianca Rinaldi como protagonista.
Como referenciar: Escrava Isaura in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-16 15:03:10]. Disponível na Internet: