Escrivão da Puridade

Designação atribuída no século XIII ao escrivão responsável pelos documentos particulares do rei. Era, assim, um homem de confiança dos monarcas. No reinado de D. Pedro I, este funcionário passou a ser detentor do Selo de Camafeu ou Selo da Puridade, que permitia autenticar documentos régios, sem necessidade de passar pela chancelaria. Era da sua competência tudo o que dissesse respeito a Cortes, bem como os negócios exteriores. O cargo foi restaurado já no século XVII, por D. Afonso VI, que o atribuiu ao conde de Castelo Melhor. Com a queda deste ministro, o cargo foi extinto.
Como referenciar: Escrivão da Puridade in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-01-18 12:06:57]. Disponível na Internet: