esgrima

A esgrima deriva da necessidade primária do homem de inventar armas para se defender. Com a descoberta do metal, estas tornaram-se mais leves, resistentes e, portanto, mais fáceis de manusear.
Foi no século XVII que a esgrima teve o seu apogeu, nos tempos de Luís XIV, em França. Com os mosqueteiros e o recurso aos duelos, o uso da espada tornou-se muito mais vulgar e importante. Como os acidentes em treinos se tornaram comuns, nos finais do século XVIII começaram a surgir as primeiras regras de esgrima e a máscara de proteção. É também nesta altura que a esgrima passa a ser ensinada em salas, começando a perder o seu carácter guerreiro.
A esgrima fez parte do programa dos I Jogos Olímpicos, decorridos na Grécia em 1896. Já em 1936, nas Olimpíadas de Berlim, foram introduzidos os aparelhos eletrónicos que auxiliam os árbitros na sinalização dos toques.
Atualmente, existem três modalidades de esgrima: o florete, a espada e o sabre. A pista de esgrima deve ter uma superfície metálica, não escorregadia, catorze metros de comprimento e uma largura que pode variar entre um metro e meio e dois metros. Os equipamentos têm como princípio fundamental a preocupação pela segurança e proteção a vários níveis.
Como referenciar: esgrima in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 19:34:37]. Disponível na Internet: