Estêvão VI (VII)

Papa italiano, de naturalidade romana, antes de ser eleito foi consagrado bispo de Anagni pelo papa Formoso. O seu papado ocorreu de maio de 896 a agosto de 897.
Tornou-se, porém, acusador de Formoso, tendo Estêvão sido protegido pelo duque Lamberto de Spoleto (que se tinha apoderado de Roma) com o intuito de denegrir a memória de Formoso. Este papa foi retirado da sua sepultura, vestido com as vestes pontifícias e sentado numa cadeira para assistir ao seu próprio julgamento, num sínodo realizado em 897. Um diácono procedia à sua defesa, e depois de todos os atos de Formoso terem sido considerados nulos e ter sido declarado culpado de querer aceder ao trono papal por ambição, ter-se trasladado de uma sede episcopal a outra e perjúrio, foi atirado ao rio Tibre com os dedos que bendiziam cortados.
Estêvão VI foi destituído, preso e morto por estrangulamento algum tempo mais tarde, depois do teto de São João de Latrão ter desabado e este facto ter sido considerado um castigo pelas ímpias disposições do sínodo de 897.
Como referenciar: Estêvão VI (VII) in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-04-04 10:24:37]. Disponível na Internet: