Expansão Holandesa

No início do século XVII, quando a independência da Holanda estava praticamente assegurada, abriu-se uma era de enorme prosperidade comercial. Em meados desse século a nação tornava-se a maior potência comercial e marítima da Europa e Amesterdão era o centro financeiro do continente.
Por volta de 1600, uma expedição comercial holandesa, composta por três navios, zarpava de Amesterdão em direção a Java. Era a primeira de muitas que iriam marcar a geografia do Mundo batizando inúmeros lugares com nomes holandeses. Estas viagens resultaram no estabelecimento ou aquisição de muitos postos de comércio na África, Sudeste Asiático e Américas.
Em 1602, o Parlamento holandês instituía a Companhia das Índias Orientais, concedendo-lhe o monopólio comercial em todas as regiões a oriente do cabo da Boa Esperança e a oeste do estreito de Magalhães na América do Sul. Os estatutos nessa altura aprovados deram igualmente à Companhia poderes de soberania nas regiões onde atuava, incluindo o direito de fazer a guerra e concluir tratados de paz. A Companhia das Índias Ocidentais, fundada em 1621, estabeleceu, por seu turno, colónias nas Índias do Ocidente, Brasil e América do Norte.
A Companhia das Índias Orientais vai-se instalar primeiramente nas Molucas e, mais tarde, em Java. Neste lugar, Batávia (atual Jacarta) torna-se o centro dos empreendimentos da associação. A maior parte destes projetos tinha a ver com o estabelecimento de um grande número de entrepostos comerciais e, normalmente, não implicavam formas de governação. Depois, pressionado pela necessidade de manter um clima de paz para garantir estabilidade nas transações comerciais, foi imposta a autoridade e um governo holandês no conjunto dos territórios a que hoje chamamos Indonésia.
Como referenciar: Porto Editora – Expansão Holandesa na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-01-27 23:41:23]. Disponível em