experiencialismo

O experiencialismo, princípio condensado na frase de Duarte Pacheco "a experiência é a mãe de todas as coisas", emergiu na época renascentista, altura em que o Humanismo obrigou à descoberta das realidades relacionadas com o Homem e o seu contexto. Este experiencialismo devido ao estabelecimento de uma mentalidade crítica foi, no início, apenas uma ilustração, comprovação ou negação de conhecimentos aferidos por especulação ou racionalidade, e somente com o passar do tempo se tornou em si próprio produtor de saber. A adoção da Matemática como linguagem universal que servisse de fundamento e documento de grande parte do saber resultante da experiência foi um dos fatores fundamentais desta época. O pragmatismo e a experiência tiveram em Portugal um papel preponderante em plena época de Descobrimentos, uma vez que o confronto com novas realidades permitiu verificar a verdade ou falsidade de conceitos até então tidos como certos por não haver provas que os contrariassem. Assim, o experiencialismo contribuiu para desmistificar certas ideias e para a produção de tratados sobre os temas mais diversos observados na primeira pessoa: botânica, geografia, cartografia, cosmografia, medicina, física, química e fauna, entre outros.
Como referenciar: experiencialismo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-17 08:20:14]. Disponível na Internet: