Expressionismo Abstrato

O Expressionismo Abstrato é um dos movimento da pintura americana, tendo-se desenvolvido a partir da década de 40. Estava centrado em Nova Iorque, razão porque assume muitas vezes o termo de Escola de Nova Iorque.
Muitos dos pintores recorriam a técnicas enérgicas, usavam invariavelmente telas grandes e aplicavam tinta rapidamente, por vezes com alguma violência. O método era muitas vezes considerado tão importante como a pintura.
O expressionismo abstrato reúne um grande conjunto de manifestações, sendo possível identificar duas tendências principais. Uma, que se integra na corrente da Action Painting, inclui as obras de pintores como Jackson Pollock, Willem de Kooning ou Franz Kline. Nas suas obras, bastante gestualistas, a tinta era lançada diretamente na tela, através de gestos instintivos, onde o acaso e o aleatório determinavam a evolução da pintura.
A outra tendência, mais meditativa ou "mística", integra os pintores Rothko e Gottlieb. Estes artistas exploraram preferencialmente as qualidades tactéis e os efeitos sensitivos da cor e produziram quadros abstratos utilizando poucos elementos, representados com limites indefinidos e relações cromáticas de grande subtileza.
Nem todas as obras deste movimento são abstratas, como algumas obras de Willem de Kooning, de Mark Rothko ou de Barnett Newman. Era normalmente aceite que a abordagem do artista ao seu trabalho se deveria relacionar diretamente com o seu inconsciente, libertando uma diferente criatividade.
Como referenciar: Porto Editora – Expressionismo Abstrato na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-02 04:12:55]. Disponível em