Ferdinando Marcos

Presidente filipino, nascido em 1917 e falecido em 1989, foi eleito para a Câmara dos Representantes, em 1949, e para o Senado em 1959. Depois de ter perdido as eleições presidenciais como candidato do Partido Liberal em 1964, veio a ser eleito presidente como candidato do Partido Nacionalista ainda em 1964, sendo reeleito em 1969 e ainda em 1981. Durante a sua governação realizou reformas económicas e sociais, elaborou uma nova Constituição em que atribuía mais poderes à Presidência. A forte oposição levou-o a prender os seus líderes e a instaurar a lei marcial, havendo uma guerra de guerrilha pelos maoístas e separatistas muçulmanos. Levantou a lei marcial em 1981, mas, no entanto, a corrupção do Governo aumentou, bem como a pobreza e a guerrilha. Em 1986, foi declarado oficialmente vencedor das eleições, mas suspeitou-se a nível nacional e internacional de fraude eleitoral maciça, tendo-se o exército, então, dividido e Marcos fugido para o Havai, subindo ao poder Corazón Aquino, a viúva de Benigno Aquino, um dos seus grandes opositores, assassinado em 1983, aquando do seu regresso às Filipinas.
Como referenciar: Ferdinando Marcos in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-19 17:29:09]. Disponível na Internet: