Fernando Bissaya Barreto

Médico, político e filantropo, Fernando Baeta Bissaya Barreto Rosa nasceu a 29 de outubro de 1886, em Castanheira de Pera, tendo vindo a ingressar, ainda jovem, na Universidade de Coimbra. Foi bacharel em Filosofia (1908) e licenciado em Medicina (1911), apenas lhe faltou complementar duas cadeiras para a conclusão do curso de Matemática.
Professor na Faculdade de Medicina de Coimbra, Bissaya Barreto distinguiu-se na sua área profissional como cirurgião. Em O Sol em Cirurgia, obra editada em 1915, defende a sua forma terapêutica - a helioterapia. Esta terapia fundamenta-se no tratamento por exposição à luz solar, uma forma de fototerapia hoje vulgarmente utilizada em patologias como a ansiedade, o stress, a depressão sazonal, e ainda em doenças de pele como a psoríase, o lúpus e até a icterícia.
As suas íntimas relações com Salazar, resultantes de ter sido o médico assistente de sua mãe, tornaram-no politicamente influente. Bissaya Barreto desde cedo se dedicou às questões político-ideológicas, tendo sido, enquanto estudante, um dos fundadores do Centro Republicano Académico e do Grupo do Livre Pensamento, em Coimbra. Notabilizou-se pela sua militância republicana nos jornais Revolta e Pátria, foi membro do Comité Revolucionário Académico e Civil, que tinha a seu cargo a organização da Revolução Republicana de 1910 na região centro. Em 1911 foi eleito deputado às Constituintes pelo Círculo da Figueira da Foz. Era filiado no Partido Evolucionista fundado por António José de Almeida, que tinha como corrente programática uma linha ideológica de transigência e conciliação entre os diversos interesses instaurados na sociedade, e que gozava do apoio dos níveis mais elevados da burguesia republicana. No começo dos anos trinta aderiu à União Nacional, pertencendo ao seu Comité Central, chegando a ser presidente da Junta Geral do Distrito e da Junta Provincial da Beira Litoral. Subsídios para a História foi uma compilação de sete volumes editados em quase vinte anos (1946-1964).
Aliada à sua profícua carreira como médico e como político, estava a sua grandeza como homem. A faceta filantrópica de Bissaya Barreto levou-o a ser um dos grandes impulsionadores dos serviços de luta anti-tuberculose, a ele se devendo os Hospitais dos Covões e de Chelas, especializados no tratamento das doenças pneumológicas/respiratórias. Fundou, também, "O Ninho dos Pequeninos", atualmente chamado "Portugal dos Pequeninos" - Instituição vocacionada para as crianças abandonadas e para os desvalidos, o Preventório de Penacova, a Escola de Semide, e, ainda, o Hospital de Leprosos Rovisco Pais.
Em 1958, criou a Fundação Bissaya Barreto para uma continuidade da sua obra de assistência e de carácter social, ainda hoje com papel preponderante nas diversas áreas da nossa sociedade.
Fernando Bissaya Barreto morreu em Lisboa, a 16 de setembro de 1974.
Como referenciar: Fernando Bissaya Barreto in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-21 07:58:47]. Disponível na Internet: