Ferrari

A Scuderia Ferrari foi fundada em Modena, em Itália, em 1929, por Enzo Ferrari, com o propósito de dar apoio a pilotos que competiam em corridas automóveis com viaturas Alfa Romeo, também italianas.

Em 1938, Enzo Ferrari foi designado Diretor de Corridas da Alfa Romeo, mas acabou por deixar esta marca dois anos depois. Fundou então, com base na Scuderia Ferrari, a Auto Avio Costruzioni Ferrari, destinada a fabricar componentes para automóveis.
Entretanto, a Ferrari começou a estudar a construção de um carro próprio. Nasceu assim o 815, uma viatura com um motor de oito cilindros e 1500cc, destinada a participar na corrida italiana Mille Miglia, de 1940. Foram construídos dois carros, mas o início da Segunda Guerra Mundial, em 1939, inviabilizou o projeto.

Em 1943 a fábrica foi transferida de Modena para Maranello, mantendo a produção de componentes até 1944, ano em que as instalações foram destruídas por bombardeamentos. Quando a guerra terminou, em 1945, a empresa mudou o nome para Ferrari e concebeu o 125 Sport, um carro com motor de doze cilindros e 1500cc.

A estreia ocorreu numa corrida disputada a 11 de maio de 1947 no circuito de Piacenza, com o bólide a ser conduzido pelo italiano Franco Cortese. Na última volta o carro seguia na frente da corrida, mas teve de desistir. Quinze dias depois Cortese venceu o Grande Prémio de Roma.

O símbolo da Ferrari, com um cavalo negro, surgiu pela primeira vez em 1923, num Alfa Romeo conduzido por Enzo Ferrari numa corrida em Ravena. Mais tarde, Ferrari levou este símbolo para a sua própria marca. Em meados da década de 50, a Ferrari iniciou uma longa colaboração com os estúdios de design de automóveis Pininfarina, na época chamados Pinin Farina.

O primeiro Ferrari com motor central apareceu no mercado em 1964. Tratava-se do 250 Le Mans, que apesar de ter sido concebido para competição também teve uma versão de estrada. Em 1968 foi lançado o Ferrari 365GTB que ficou conhecido por Daytona, embora a marca italiana nunca tivesse adotado oficialmente esta designação.

Em 1969, para fazer face ao crescimento do mercado, Enzo Ferrari vendeu metade da sua empresa ao Grupo Fiat, de Itália. Em 1989, ano da morte de Enzo, a participação da Fiat subiu para 90 por cento. Contudo, a Ferrari sempre manteve grande autonomia em relação à Fiat.

Em 1984 apresentou o Testarrossa, com um design inovador da Pininfarina, e em 1988, de forma a assinalar os 40 anos de produção contínua de automóveis, a Ferrari lançou o super-potente F40, na altura o carro mais rápido do mundo.

Enzo Ferrari morreu em 1989, mas a marca manteve o espírito de sempre, como o provaram os modelos que foram lançados de seguida, o F355, o 456, o 550 Maranello e o 360.

A nível desportivo a Ferrari é também uma das marcas mais conhecidas, especialmente devidos aos seus sucessos na Fórmula 1. A primeira vitória numa corrida de F1 aconteceu em 1950 no Grande Prémio da Grã-Bretanha com o argentino Froilan Gonzalez ao volante. O primeiro título no campeonato mundial de pilotos aconteceu em 1952 graças ao italiano Alberto Ascari.

Depois de um período negro no final do século XX, o ano 2000 ficou marcado pelo regresso às vitórias no Mundial com o piloto alemão Michael Schumacher a somar vários títulos consecutivos.
Como referenciar: Ferrari in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-06 18:27:33]. Disponível na Internet: