Finis Patriae

Obra poética de Guerra Junqueiro dedicada "à mocidade das escolas" e publicada no ano do Ultimato da Inglaterra a Portugal. Em procissão dramática, num cenário negro, desfilam várias personagens, tipos sociais e/ou símbolos, proferindo um extenso requisitório que visa provar o fim da pátria. Sucessivamente falam: "choupanas de camponeses", "pocilgas de operários", "casebres de pescadores", "hospitais", "escolas em ruínas", "cadeias", "condenados", "fortalezas desmanteladas", "monumentos arrasados" e "estátuas de heróis". A conclusão do doloroso inquérito resume-se no verso: "Que é da nação? - Morreu na história." Contudo, o último poema, "À mocidade das escolas", retomando circularmente a dedicatória, é um incitamento a que a juventude dê a vida pelo ressurgimento da pátria.
O livro inclui ainda os poemas "O caçador Simão" e "À Inglaterra": enquanto o primeiro censura de forma alegórica o alheamento do monarca português perante a ofensa inglesa, o segundo insulta abertamente a nação inglesa.
Como referenciar: Finis Patriae in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-15 05:48:58]. Disponível na Internet: