Fonseca Amaral

Poeta português, João da Costa Fonseca Amaral nasceu a 6 de março de 1928, em Viseu (Portugal).
Com apenas três anos, foi viver para Moçambique, regressando a Portugal com 26 anos. A Moçambique só regressou após a independência, em 1975, onde aí residiu durante cinco anos. Trabalhou como tradutor, professor, jornalista e funcionário público nos Caminhos de Ferro de Moçambique e diretor do Departamento Editorial do Instituto Nacional do Livro e do Disco. Participou em vários jornais e revistas de Moçambique, Portugal e Brasil, como Sulco, onde se estreou como poeta, A Voz de Moçambique, O Brado Africano, Notícias, Sul, Caliban e Itinerário.
Com lugar marcado na literatura moçambicana, Fonseca Amaral, um poeta pouco produtivo e com nítida influência do poeta inglês Whitman, está incluído em antologias como Poetas Moçambicanos (1960), Poetas Moçambicanos (1962, Casa dos Estudantes do Império) e Poesia 71.
Em 1992, Fonseca Amaral faleceu em Queluz (Portugal).
Como referenciar: Fonseca Amaral in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-10 13:59:53]. Disponível na Internet: