Fonseca Benevides

Físico e oficial da Marinha português, Francisco da Fonseca Benevides nasceu a 28 de janeiro de 1835, em Lisboa.
Em 1851, integrou a Marinha, onde permaneceu até 1856, e foi designado, em 1854, professor das cadeiras de Física e de Hidrografia, no Instituto Industrial de Lisboa, e também das disciplinas de Mecânica e de Artilharia, na Escola Naval, até 1871. Durante esse período, participou em várias exposições industriais, como a Exposição Internacional do Porto (1856) e Exposição Universal de Paris (1867). Fonseca Benevides foi ainda diretor do Instituto Industrial e Comercial de Lisboa e chefe da inspeção do ensino industrial da Circunscrição Sul. Preocupou-se com o ensino industrial e com a renovação tecnológica da indústria em Portugal e fundou o Museu Tecnológico do Instituto Industrial de Lisboa. A sua produção escrita abrangeu várias áreas, tais como a guerra, a física, a música e a história, da qual se destaca Curso de Artilharia da Escola Naval: descrição do material de guerra (1858), O Fogo: obra científica e literária (1866), A Música: memória histórico-descritiva (1866), Noções de Física Moderna com Numerosas Aplicações (1870), Rainhas de Portugal (1878-1879, 2 volumes) e O Real Teatro de S. Carlos de Lisboa (1894). Para além disso, escreveu vários artigos para revistas e jornais, como Jornal de Ciências, Matemáticas, Físicas e Naturais da Academia Real das Ciências de Lisboa, Jornal do Comércio, Revista Militar, Ocidente, entre outras publicações.
Recebeu algumas distinções, como o grau de Cavaleiro da Ordem de Cristo (1862), Cavaleiro da Ordem de Santiago (1866), Comendador da Ordem de Cristo (1867) e foi sócio correspondente da Academia Real das Ciências de Lisboa, em 1866.
Fonseca Benevides faleceu a 19 de maio de 1911, em Lisboa.
Como referenciar: Fonseca Benevides in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-10 05:59:20]. Disponível na Internet: