Fortunato de Brescia

Teólogo professo na Ordem de São Francisco de Assis e importante morfologista, nasceu em 1701, em Bréscia, atual Itália, e morreu em 1754, em Madrid. Recebendo o hábito aos dezoito anos, Fortunato destacou-se por um espírito aberto à influência das correntes do positivismo científico e do racionalismo iluminista que orientavam o pensamento da época. Minorita da Reforma da Lombardia, foi um distinto filósofo e teólogo, tendo sido conhecido também pelos seus estudos das ciências naturais às quais devotou o seu tempo. A importância do seu trabalho está na associação da filosofia escolástica com as descobertas das ciências físicas, para as quais contribuiu o uso intensivo do microscópio, seguindo o exemplo de Malpighi. Convencido de que o conhecimento da anatomia microscópica era a solução para os problemas da natureza, estabeleceu como prioritários os estudos experimentais da constituição histológica dos vários órgãos para conhecer as suas funções e a separação dos órgãos segundo os seus elementos para determinar a sua origem embriológica. Muito antes de Xavier Bichat (1800), foi pioneiro na distinção entre tecidos e órgãos, tendo noções exatas dos seus sistemas, resultado de investigações difíceis dada a falta de meios da época. As suas pesquisas estenderam-se aos animais e às plantas, sendo considerado o primeiro morfologista. Teve o mérito de ser o primeiro a estabelecer um método de examinação do sistema nervoso central, que era na altura considerado a parte mais complexa e delicada do corpo humano, e que esteve na origem de algumas das mais notáveis descobertas da biologia. Publicou várias obras que tiveram muita influência no movimento renovador das ideias filosófico-teológicas de meados do século XVIII que tiveram repercussão em Portugal, sendo um pensador citado nas escolas.
Como referenciar: Fortunato de Brescia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-21 21:51:33]. Disponível na Internet: