fotografia subjetiva

Em 1950, o fotógrafo Otto Steinert fundou na Alemanha o grupo Fotoform, considerado o primeiro movimento de fotografia criativa internacional do pós-guerra e que marcou a rutura definitiva com o pictorialismo.
Em 1951, inspirado pelo Fotoform, publicou a teoria dos princípios de uma corrente que ficou conhecida pelo nome fotografia subjetiva (subjektive fotografie). A palavra subjetiva (subjektive) significa livre, pessoal e prática não funcional da fotografia que reclama o reconhecimento dos limites da objetividade e da imagem fotográfica, reivindicando, por esta via, o valor do seu criador. No fundo, uma imagem que se pretendia vanguardista e útil, experimental e livre.
Os trabalhos deste grupo aproximavam-se de uma total abstração que surgia de brincadeiras com os efeitos de luz, sobreposições de negativos, entre outras experiências. Durante os anos cinquenta, Steinert organizou uma série de exposições intituladas "fotografia subjetiva", nas quais tentou reunir trabalhos de fotógrafos oriundos de vários grupos, da Europa e dos EUA, que tivessem visões comparáveis, dentro da fotografia moderna contemporânea, entre os quais se destaca Bill Brandt, Ansel Adams, Minor White, Henri Cartier-Bresson, Dorothea Lange e William Klein.
Após a Segundo Guerra Mundial, a fotografia na Alemanha estava, em termos profissionais, parada no tempo. O único trabalho que se fazia neste campo era a produção de fotografias do tipo passe para os muitos documentos identificativos utilizados na Alemanha ocupada. A fotografia amadora estava muito limitada pela dificuldade em obter os materiais necessários. A fotografia moderna estava há muito esquecida, uma vez que tinha sido banida pelo Terceiro Reich. Os fotógrafos da época ainda usavam técnicas que tinham sido desenvolvidas no início do século - um paradoxo, tendo em conta que esses mesmos fotógrafos, apesar de viverem no início do século, acreditavam numa nova fotografia.
Como referenciar: fotografia subjetiva in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-18 22:34:10]. Disponível na Internet: