Fradique Mendes

Personagem fictícia, primeiro criada por Eça de Queirós, Antero de Quental e Jaime Batalha Reis ao tempo do Cenáculo, a quem Eça atribuirá as cartas publicadas na imprensa entre 1888 e 1900, posteriormente compiladas nos livros A Correspondência de Fradique Mendes e Cartas Inéditas de Fradique Mendes. Apresentado como um "homem distinto, poeta, viajante, filósofo nas horas vagas, diletante e voluptuoso", Fradique Mendes incarna o dandy aristocrata, rico, belo, cosmopolita, superiormente inteligente, uma espécie de ideal da sua geração, onde convergem traços românticos e decadentistas. Fradique é em parte caracterizado através das cartas endereçadas a personalidades tão distintas como Madame Jouarre, a sua madrinha, Oliveira Martins, Guerra Junqueiro ou Ramalho Ortigão, onde se exprime sobre temas tão diversos quanto a vida política, a imprensa, o papel social da religião, o sacerdócio ou a literatura.
Como referenciar: Fradique Mendes in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-28 02:34:09]. Disponível na Internet: